PR-2

Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa

Universidade Federal do Rio de Janeiro



JORNADA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA

Apresentação

A Jornada de Iniciação Científica, Artística e Cultural tem como objetivo proporcionar um espaço para exposição e discussão dos trabalhos de iniciação científica, artística e cultural estabelecendo, desta forma, um produtivo intercâmbio entre alunos de graduação, pós-graduação, docentes e pesquisadores envolvidos em atividades de pesquisa na UFRJ.

A apresentação de trabalho na Jornada é facultada aos alunos de graduação, bolsistas ou não, orientados por, pelo menos, um docente ou técnico-administrativo da UFRJ, com doutorado ou mestrado, sendo obrigatória para os bolsistas PR-2/UFRJ e CNPq/PIBIC/UFRJ. Os alunos de Iniciação Científica Júnior orientados por docentes da UFRJ também podem apresentar seus trabalhos na Jornada.

Os orientadores de bolsistas PR-2/UFRJ e CNPq/PIBIC/UFRJ estão obrigados a participar das atividades da Jornada, especialmente durante a apresentação de seus orientandos.


Biografia Giulio Massarani

Mestre de muitos mestres que hoje integram o corpo docente da COPPE, Giulio Massarani congregava a paixão pelo ensino e o espírito pioneiro daqueles que em 1963 juntaram-se ao mestre Alberto Luiz Coimbra para implantar a primeira pós-graduação em engenharia do Brasil.

Filho do maestro italiano Renzo Massarani, Giulio nasceu em Roma, em 16 de dezembro de 1937, e veio para o Brasil com 1 ano de idade. Graduado em engenharia química e química industrial pela Escola Nacional de Química da Universidade do Brasil, Massarani foi um dos primeiros professores do país a obter um título de mestre. Para isso, mudou-se para os EUA no início dos anos 60 e tornou-se mestre pela Universidade de Houston em 1963. Mais do que obter um título, sua principal motivação era trazer para o Brasil o que de mais moderno havia no ensino e pesquisa em engenharia química. Valeu a pena! O professor transmitia com entusiasmo a seus alunos o orgulho de ter participado, desde o primeiro dia, dos momentos que antecederam a criação da COPPE, hoje o maior centro de ensino e pesquisa em engenharia da América Latina.

Giulio Massarani manteve-se entre os docentes mais produtivos da COPPE e sua dedicação ao ensino contagiava alunos e colegas. Concluiu seu doutorado em 1971 na Universidade Paul Sabatier, em Toulose, na França. Orientou 56 dissertações de mestrado e 26 teses de doutorado. Publicou mais de 200 trabalhos técnicos em revistas científicas, é autor de 20 livros e publicações didáticas. Formou doutores que criaram cursos de pós-graduação em vários estados do país. Seu trabalho teve grande repercussão nos cursos de engenharia química de muitas universidades brasileiras. Ele também colaborava de forma permanente com instituições de ensino e pesquisa na França, Estados Unidos e Chile. Massarani foi agraciado com vários prêmios durante sua vida acadêmica. Entre eles, destacam-se: Comendador da Ordem Nacional do Mérito Científico, concedido pelo Governo Federal; Medalha Rilem (Réunion Internationale des Laboratoires d?Éssais et de Recherches sur les Matériaux et les Constructions); Medalha Prof. João Cristóvão Cardoso, do Instituto de Química da UFRJ; e Prêmio Álvaro Alberto de Tecnologia, da Prefeitura do RJ. Também foi Membro Fundador da Academia Brasileira de Engenharia. (Publicado no JC e-mail 2616, de 29 de Setembro de 2004.)

Em 1978, o Prof. Massarani "inventou" a Jornada CCMN/CT de Iniciação Científica. Esta jornada cresceu para toda a UFRJ e hoje já está na trigésima segunda edição. São mais de 3900 trabalhos previstos para apresentação este ano.  Este registro, não é só pela "invenção" da jornada, mas pela fundamental contribuição do Prof. Massarani junto ao CNPq na criação e implantação dos programas de iniciação científica.  Hoje, a maioria dos professores jovens (e muitos dos não tão jovens) foram alunos de iniciação científica. Em 2003, o Prof. Massarani foi homenageado na sessão de abertura da XXV Jornada de IC da UFRJ.