PR-2

Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa

Universidade Federal do Rio de Janeiro



Livro aborda a simbologia dos enfeites corporais entre os índios Nambiquara
29/06/2018

Será lançado no dia 3 de julho, terça-feira, na Blooks Livraria (Praia de Botafogo, 316, Botafogo, Rio de Janeiro), a partir das 19h, o livro As coisas: os enfeites corporais e a noção de pessoa entre os Mamaindê (Nambiquara), da antropóloga e professora Joana Miller (Editora Mauad X, 2018, 296 p.). Resultado de uma pesquisa realizada entre os Mamaindê, um subgrupo Nambiquara situado no norte da Terra Indígena do Vale do Guaporé, no estado de Mato Grosso, entre os anos de 2002 e 2005, tem como base uma tese de doutorado defendida em 2007 no Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social do Museu Nacional/UFRJ e que recebeu o prêmio Bunge na categoria Jovem Cientista e menção honrosa no prêmio Capes de Tese. O livro consiste na descrição etnográfica deste grupo indígena e focaliza principalmente a relação estabelecida pelos Mamaindê entre os seus enfeites corporais e a noção de pessoa. Na cosmologia deste grupo indígena, além dos ossos e órgãos que configuram o interior dos corpos, as pessoas são feitas de linhas que, na forma de colares de contas, constituem, dentro do corpo, intrincados novelos, que ligam não somente o interior ao exterior, mas também as pessoas entre si e os vivos aos mortos. A partir deste caso etnográfico específico, a autora procura refletir sobre o estatuto dos objetos nas cosmologias ameríndias, contribuindo assim para o debate recente sobre este tema na etnologia indígena sul-americana.

Fonte: site Faperj

Clique aqui para saber mais.